Preparando para a chegada do bebê

Preparando para a chegada do bebê

Preparando a chegada do bebê Com o final da gestação, chegam a expectativa, novas dúvidas e a incontrolável ansiedade da mamãe pelo momento do parto. A organização do que levar para a maternidade, a finalização do quarto do bebê, a funcionalidade da casa, tudo toma uma dimensão maior e é um mundo novo para a gestante.

A organização desses aspectos é fundamental, porém não deve ser transformada em motivo para mais ansiedade, estresse e desgaste físico e mental para os pais. Afinal de contas, não faz bem para a saúde do binômio mãe-bebê.

Pensando neste binômio, é imprescindível buscar a transformação do período que antecede a chegada do bebê, em momentos agradáveis e de fácil administração, pois tudo transcorre bem quando há organização, preparo e boa vontade. Assim, aqui seguem algumas dicas:

  • A organização da casa e reforma (se forem acontecer) devem estar finalizadas pelo menos no sexto mês de gestação (no caso de gêmeos, geralmente o parto acontece antes dos nove meses). O quarto do bebê, se em reforma, deve estar concluída até o sétimo mês, pois um possível parto prematuro ou alguma intercorrência, antes da data provável do parto, devem ser levados em consideração. Os móveis já devem estar montados até o meio do oitavo mês, assim como a decoração;

  • Segurança acima de tudo, tanto na casa como no planejamento do quarto. Um espaço funcional e acolhedor é o ideal. Uma boa decoração deve ser sinônimo de funcionalidade e praticidade, aliadas à beleza. Pensar que o bebê vai crescer e vai entrar na fase de puxar, derrubar e fazer artes, devem ser avaliados junto com a decoração, lembrando de telas nas janelas, local do berço e utilitários, uso de tapetes (contra indicados), luz e barulhos ambiente, sem falar na funcionalidade do banheiro.

    Alguns materiais podem ser dispensados nos primeiros momentos, como pontas de silicone para móveis e vidros, pois o bebê ainda é pequeno e não terá utilidade. Deixe esses detalhes para quando surgir a necessidade;

  • As roupas do bebê devem estar lavadas e arrumadas a partir da 28ª semana, pois daí em diante tudo pode acontecer. As malas para a maternidade, tanto do bebê quanto da mãe, devem estar arrumadas na 30ª semana. Se a programação for para parto normal, levar alguns materiais que poderão ser úteis, como o Plano de Parto, travesseiro pessoal, ou algo que prefira para lhe dar conforto durante o trabalho de parto;

  • Outro item importante é a necessidade de babá ou cuidador familiar para ajudar a mãe nos primeiros momentos com o bebê. É uma decisão que deve acontecer com antecedência, bem como planejar o tempo que essa pessoa vai dar suporte, se ela está capacitada para a função, e em caso negativo, prepará-la adequadamente. Já existem profissionais capacitados no mercado, para esse preparo.

    No caso de contratar uma técnica de enfermagem ou uma babá, sempre ter referências de outros locais em que tenha trabalhado, e que lhe passe confiança. Nesse caso, acertar detalhes como folgas e horas extras, e prepará-la para a ajuda na maternidade ou para o retorno para casa. Estes cuidados devem acontecer previamente;

  • A escolha do médico pediatra também deve acontecer antes do bebê nascer. Por isso, conhecer o profissional e sua disponibilidade com antecedência é muito importante. O bebê vai precisar de uma consulta logo após o nascimento – o recomendável é até o 7º dia de vida -, e o melhor é ter isto já programado;

  • O Plano de Parto, na atualidade, é mais uma opção para as mamães modernas. O planejamento consiste numa lista de itens onde inclui tudo que você gostaria, aceita e não aceita durante o parto, desde os primeiros sinais até o pós-parto, ou até a sua estadia na maternidade. Itens sobre acessibilidade e visitas da família após uma cesárea – onde a mulher deve se poupar de conversas, por exemplo – devem estar contidos no seu planejamento, entre outros procedimentos.

    Para a mamãe fazer o Plano de Parto, ela deve conversar previamente com o obstetra e se informar de todos os procedimentos obrigatórios, ou não, inclusive na maternidade onde vai ter o bebê. Ler e conhecer sobre o preparo e sobre o parto, o auxílio de profissionais, além de conversar com a família, principalmente com o acompanhante de parto (companheiro, doula, irmã, mãe). Este deve saber como proceder diante de situações que a mãe, momentaneamente, não possa decidir;

  • Junto com as malas do bebê e da mãe, lembrar-se de colocar os documentos pessoais e necessários, como a pasta de exames da gestação, as famosas lembrancinhas da maternidade, o enfeite da porta do quarto, máquina fotográfica e câmera filmadora, para registrar momentos importantes como o parto (dependendo das regras da maternidade). Cada momento é um flash único e insubstituível!

Para saber a lista do enxoval da mamãe e do bebê, visite aqui no site o Guia da Gestante e o Guia do Bebê


  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307