Os desafios de uma gravidez tardia

Os desafios de uma gravidez tardia

Referência no acompanhamento de gestações de risco, gestação tardia e na avaliação do casal infértil, o ginecologista e obstetra Luiz Machado afirma: “Aos 35 anos os problemas de infertilidade já atingem um percentual de 33%.”

Os desafios de uma gravidez tardiaA emancipação da mulher, a necessidade de trabalhar para ajudar no orçamento da casa e a competição no mercado de trabalho, segundo o obstetra e ginecologista Luiz Eduardo Machado, são alguns dos fatores responsáveis pela gravidez em idade avançada. “A mulher estuda, forma-se, faz pós-graduação, casa-se, compra apartamento e, por fim, resolve ter um filho”, completa o doutor, que hoje em sua clínica Ultra Center, localizada no Centro Médico Aliança, atende três vezes mais gestantes acima dos 37 anos que há dez anos.

Ainda segundo o obstetra, a mulher foi concebida para engravidar entre os 22 e 26 anos. Com essa idade somente 5% das mulheres têm problemas de infertilidade, isso porque a produção de ovócitos é rica e de boa qualidade. “A cada ano a mulher perde quantidade e qualidade de ovócitos, gerando baixa produção de folículos para ovulação. Um embrião de oito semanas tem 6 milhões de ovócitos e, ao nascimento, tem 1 milhão. Na puberdade cai para 300 mil. Note que a perda de ovócitos inicia-se desde a fase embrionária e no desenvolvimento fetal”, explica o doutor.

Existe então uma idade limite para uma gravidez saudável? “Para mim, a idade que serve como divisor de águas é a dos 37 anos. O declive folicular é exponencial e se dobra quando fica baixo de 25 mil ovócitos, o que ocorre por volta dessa idade”, alerta o médico. Ele ainda ressalta que, já aos 35 anos, os problemas de infertilidade atingem um percentual de 33% das mulheres “e, após os 40 anos, a situação é bem pior em todos os sentidos”, completa.

Além da dificuldade de engravidar, sendo muitas vezes necessário recorrer aos serviços de Reprodução Humana Assistida – que aumentam a ansiedade e o custo – a partir dos 40 anos o risco de cromossomopatias (síndromes genéticas) também é bem elevado. “Acredito que a mulher terá que rever esses conceitos, buscando a maternidade logo que possível, evitando chegar a esse desgaste emocional”, adverte o obstetra.

Para assegurar a saúde da mamãe e do bebê é importante lembrar que uma gravidez em idade avançada deverá ter um pré-natal com bastante atenção, principalmente pelo risco de hipertensão arterial, diabetes gestacional e outros problemas hemodinâmicos. “Infelizmente, essa modificação da faixa etária da reprodução foi feita à revelia dos ovários, e vale lembrar que tudo termina aos 50 anos. Ou seja, aos 50 ou perto disso termina toda a produção de ovócitos”, finaliza o obstetra e ginecologista Luiz Machado.

“Acredito que a mulher terá que rever esses conceitos, buscando a maternidade logo que possível”

O ginecologista Luiz Machado se debruçou sobre o tema infertilidade. Sua tese de doutorado (realizado na Faculdade de Medicina da Universidade de Valencia, na Espanha), foi sobre a função e reserva ovariana. Juntamente com sua esposa, a também médica ultrassonografista Lívia Chamusca, atuam há mais de 30 anos e são reconhecidos pelo trabalho na área de imagem em obstetrícia e ginecologia. O casal é pioneiro na Bahia no serviço de ultrassonografia em 3D e 4D.

Dr. Luiz Eduardo Machado e Dra. Lívia Chamusca

Dra. Lívia Margarida de Mascarenhas Chamusca é formada pela Escola Baiana de Medicina; residência médica no Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba); especialista em ginecologia, obstetrícia e ultrassonografia; coordenadora de prática do Centro de Treinamento em Diagnóstico por Imagem (Intro); e membro do Colégio Brasileiro de Radiologia.

Dr. Luiz Eduardo Machado é formado pela Escola Baiana de Medicina; coordenador geral do Centro de Treinamento com Diagnóstico por Imagem em Salvador (Intro); doutor pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valencia, na Espanha; presidente da Sociedade Brasileira de Ultrassonografia (SBUS) Regional Bahia; professor associado da Faculdade de Medicina de Valencia, na Espanha; membro do Comitê Europeu de Diagnóstico por Imagem da Mulher; e membro do Colégio Brasileiro de Radiologia.

Dr. Luiz Machado
Ginecologia, obstetrícia e ultrassonografia Cremeb – 4814
Dra. Lívia Chamusca
Ginecologia, obstetrícia e ultrassonografia Cremeb – 6632
Proprietários da clinica Ultracenter – Salvador – BA

Material autorizado pela revista Meu Bebê Bahia, página 76. Ano 1/2013 – Nº 03


  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307