O tratamento hormonal engorda?

Ao receber as instruções de medicamentos para regular a ovulação, uma dúvida comum nos consultórios de reprodução humana é se o tratamento hormonal engorda. Este é um mito bastante difundido entre as mulheres e têm um fundamento, mas não se aplica a qualquer hormônio. Para que você saiba especificamente sobre a relação entre o tratamento hormonal para engravidar e o risco de engordar, conte com esta informação fornecida pelos especialistas do
IVI Salvador.

É verdade que alguns hormônios podem levar a um ganho de peso, dependendo do tipo de hormônio, da dosagem e também da sua finalidade. Mas também pode acontecer inclusive que um tratamento hormonal leve à perda de peso, quando acontece para casos onde o objetivo é corrigir desequilíbrios hormonais que podem estar acompanhados de problemas de ovulação e de irregularidades na menstruação.

Na maioria das vezes, em mulheres que fazem tratamento hormonal para a ovulação, o que geralmente ocorre é uma retenção de líquidos que pode levar a uma sensação de inchaço e não um ganho de gordura. Algo similar ao que ocorre durante a TPM (tensão pré-menstrual). Portanto, quando o tratamento hormonal de estimulação ovariana termina, o inchaço diminui e a mulher recupera seu peso normal. Por outro lado, também é importante considerar a alimentação durante o tratamento, pois a ansiedade relacionada ao desejo de engravidar pode afetar a quantidade de comida ingerida, algo que como consequência pode levar ao aumento de peso.

Vários remédios podem ser usados para o tratamento da infertilidade feminina associada ao mal funcionamento do ovário. Em geral, são indicados para melhorar a ovulação em mulheres que não ovulam ou ovulam mal. Eles atuam nos ovários aumentado a produção dos folículos, que, explicando de forma simplificada, são uma espécie cápsulas que contêm no seu interior os óvulos que serão liberados no momento da ovulação. Durante o tratamento de estimulação ovariana o desenvolvimento dos folículos é acompanhado através de ultrassonografia para evitar o hiperestímulo dos ovários, uma complicação que pode ocorrer e por isso é fundamental que os hormônios e medicamentos nunca sejam tomados sem prescrição e acompanhamento médico.

Sobre o IVI

Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 40 clínicas em 10 países e é líder em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária.
Contato IVI Salvador: (71) 3014 9999


  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307