Da concepção ao Parto

A concepção ocorre quando os órgãos reprodutores do homem e da mulher estão preparados (a partir da puberdade, para ambos) para produzirem suas células reprodutoras (óvulo pela mulher e espermatozoide pelo homem), que ao se encontrarem no ato da relação sexual, iniciarão a formação de uma nova vida.

Para que esse processo chamado fecundação ocorra corretamente, uma das premissas é que a mulher esteja no seu período fértil (o óvulo amadurecido é liberado pelo ovário para as trompas, em geral no meio do ciclo menstrual, no 14º dia após a menstruação). Tudo isso acontece no interior do aparelho reprodutor feminino.

É essencial, tanto para o homem quanto para a mulher, estarem com os órgãos genitais e reprodutores saudáveis, para que a fecundação ocorra em boas condições. A tabela abaixo mostra todo o ciclo da gestação pelo ótica do bebê.

Clique no seu período gestacional, e acompanhe todas as transformações do concepto (bebê).

1º Trimestre (Da 1ª a 13ª Semana)2 Trimestre (Da 14ª a 27ª Semana)3º Trimestre
(Da 28ª a 40ª Semana)

A concepção ocorre quando uma das células reprodutoras do homem (espermatozoide) e uma da mulher (óvulo) se encontrarem após uma relação sexual. A fusão dessas células primeiramente se nomeará ovo e conterá 46 células (23 cromossomos da mãe e 23 cromossomos do pai) que darão origem ao sexo da criança e todas as suas características genéticas.

O ovo passará por diversas mudanças celulares, e com mais ou menos uma semana, percorrerá um caminho até chegar ao útero para sua implantação.

A primeira das mudanças ocorre entre o terceiro e quarto dia (após a fecundação) onde o ovo se transforma em uma nova massa celular chamada de mórula. No 5º dia essa mórula se implantará no útero (processo conhecido como nidação) passando a ser chamado de blástula. No estágio de blástula, surge uma camada de células, chamada de trofoblasto, cujo objetivo é produzir enzimas que digerem os tecidos da parede uterina, a fim de conseguir retirar nutrientes para o embrião. Como resposta a essa ação do trofoblasto, a parede do útero promove a proliferação de vasos sanguíneos naquela região, formando uma estrutura altamente vascularizada chamada de decídua uterina, o que irá dar origem a placenta ao final da segunda semana de gestação.

Entre o 7º e o 9º dia, após essas estruturas montadas, ocorre à fixação completa na parede uterina, formando o botão embrionário, que se tornará embrião e poderá ser chamado assim, até a 8º semana de gestação.
O embrião é minúsculo como um girino, menor que um grão de arroz, mas já tem cabeça e calda, ainda longe de se parecer com um ser humano.

  • Esse período o embrião começa a tomar um formato de um bebê desenhado minúsculo, mas sem definições de seu corpo, mede entre cinco milímetros, e no final do mês ele já terá cerca de 30 milímetros, e pesará cerca de 3g.
  • Os seus principais órgãos e sistemas estão terminando de serem formadas. Os contornos das mãos, dedos, braços e cabeça já são visíveis,assim como os olhos e divisão entre a boca e o nariz, enquanto que as pernas, pés e o abdômen estão bem curvados e menores, o coração começa a criar volume e dividir suas cavidades.
  • A placenta está terminando de ser desenvolver para nutrir o concepto e o liquido amniótico já o envolve em quantidade. A placenta é a bolsa que envolve o bebê, cotendo dentro o líquido amniótico que protege o bebe, e o cordão umbilical é quem nutre ele e promove as trocas desses nutrientes e o oxigênio pra seu sustento com a mãe.
  • O embrião enfim, torna-se feto no início desse mês. O feto pode atingir até 10 cm e pode pesar cerca de 50 Gr.
  • A hora da primeira ultrassonografia acontece (visualizar a parte de consultas e exames o site) e já consegue ver o bebê. O primeiro ultrassom da translucência nucal vai verificar se não há más formações nesse estágio. Entre a 12º e 14º semanas, deve ser realizada, principalmente para confirmar o período gestacional.
  • Os batimentos cardíacos já podem ser ouvidos através do ultrassom com Doppler.
  • Além de definidos alguns detalhes aparecem da face, a boca já  abre e fecha e apresenta reflexos de sucção e deglutição.
  •  A função renal já está se iniciando e o feto começa a fazer xixi, que se misturará ao liquido amniótico e fará parte desta função frequente.
  • Os órgãos genitais externos aparecem discretamente, (mas na maioria dos casos ainda fica difícil identificar o sexo nos exames de ultrassonografia).
  •  O cérebro começa se formar e dividir em partes.
  • A cabeça ainda é grande, maior que o corpo.
  • Ossos e aparelho digestivo terminam de se formar.
  • Os membros superiores se alongam mais rápido do que os membros inferiores e podem ter pequenos movimentos, mas as mães ainda não podem sentir de tão suaves
  • O feto cresceu, e está cada dia mais aparente com um bebê, pois o crescimento do corpo agora começa a acompanhar a cabeça junto com suas impressões digitais.
  •  Engordou um pouco pesando em media 150 a 250 Gr, medindo de 10 a 14 cm.
  • A placenta e o cordão umbilical se encontram totalmente formados, e a partir de agora, com a maioria dos órgãos formados ou em crescimento, cada feto segue o seu próprio ritmo de desenvolvimento. Nos processos anteriores de formação, cada parte desenvolvida de forma errada ou feita o mais corretamente possível, influenciará nesse término do desenvolvimento e cada bebê segue seu ritmo.
  • Ele se mexe, faz xixi, degluti o liquido amniótico, e pratica alguns movimentos respiratórios, e já pode até colocar os dedinhos na boca, as pernas e braços mais alongados.
  • São perceptíveis os capilares sanguíneo, devido à pele transparente e recoberta por uma lanugem fina.
  • Se for menina o útero e os ovários com os óvulos já estão sendo formados agora.
  • Ao final do mês ele já pode estar medindo entre 18 e 25 centímetros e pesando mais ou menos 500 Gr.
  • A pele está enrugada, cor de rosa e translúcida, nasce o vernix caseoso, uma camada de gordura e vitaminas que irá protegê-lo do liquido amniótico sob ela.
  • Traços do rosto bem definidos, junto com boca e o nariz.
  • Os cílios e cabelos são visíveis, ainda que pouco, as unhas começam a crescer nos dedos.
  • Ele nada, e dá cambalhotas, adquirindo motricidade, com isso você o sentira mexer, isso acontece mais a noite.Uma dica é a noite procure tomar um copo de algum liquido energético como leite, suco de alguma fruta e aguarde alguns minutos, mas muitas mães ate a 20º semana não sente os movimento fetais todos os dias, é normal que ele fique dois ou 3 dias sem sequer você sinta ele se mexer, anote e date  todas as tentativas que não deram certo, chame um médico.
  •  Após a 28º semana os movimentos tornam-se mais consistentes e frequentes, sendo uma boa dica checar eles diariamente.
  • No caso de meninos, os testículos começam a descer da cavidade abdominal para o sacro escrotal.
  • Ele mede torno de 35 a 37 cm e pesa em media umas 800 gr. Continua seu crescimento.
  • Ele aumenta e coordena bem seus movimentos, reage a ruídos, dorme, acorda, mas continua sendo mais ativo a noite na hora do sono e descanso da mulher. Os movimentos dele chegam a ser de 20 a 60 vezes em meia hora. Soluça e chega a pegar no cordão umbilical.
  • Orelhas, sobrancelhas, o nariz ficam mais nítido, e o pescoço se destaca, os olhos piscam, já tem cordas vocais e reage à luz sobre o vente da mãe tapando seus olhinhos.
  • Pulmões bem desenvolvidos, mas não completos. Os soluços ocorrem comummente.
  • O bebê ganha peso rapidamente, ficando ate apertado no útero, ao final do mês ele pesa cerca de 1500 Gr, e mede cerca de 40 a 42 cm. Move-se bem menos no final do mês.
  • As cores da íris dos olhos ficam azuis para os bebês de pele clara, e castanhas para os de pele escura, mas a cor final só será definida depois do nascimento.
  • A lanugem começa a desaparecer e fica apenas nas costas e nos ombros, o cabelo começa a crescer e as unhas já estão formadas, a pele é rosada e lisa,e é depositada mais gordura sobre ela.
  • O cérebro começa a crescer e continuará até os dois anos de idade quando geralmente fecha a moleira ( os ossos do crânio e as cartilagens).
  • Os pulmões começam a funcionar mesmo imaturos.
  • No final do oitavo mês o bebe pesa cerca de 2.500GR, ele ganha em torno de 5 Gr por dia e medirá cerca de 50 cm.
  • O feto assume a posição que vai nascer.
  • O feto regurgita e deglute pela boca e narinas o liquido amniótico, este liquido circulando no aparelho digestivo dele, estimula certos  componentes que ajudam  o amadurecimento dos pulmões.
  • A gordura antes, se transformar em vernix protegendo sua pele toda. A sua aparência muda para mais encorpada e menos enrugada
  • Os ossos continuam a crescer e se espessar. Surgem pregas em volta do pescoço e pulsos e dobrinhas nos joelhos e cotovelos
  •  O cérebro continua a crescer num ritmo bom.
  • Os períodos de sono e ativos se tornam mais intensos ou menos.
  • Ele urina bastante proporcional à quantidade de líquido que ingere.
  • Finalmente ele está pronto para nascer, já formado, ganha cerca de cinco cm e 1,5 KG, no geral neste mês. Mede cerca de 50 cm e pesa ate 3 kg. Não se mexe mais como antes e sim pequenos movimentos devido à falta de espaço..
  • O cordão umbilical mede em torno de 60 cm de largura, e a placenta pesam cerca de 700 GR
  • Encaixam-se na parte inferior do útero até seu nascimento na maioria das vezes durante cada dia e a mãe sente esse encaixe.
  • Ele tem o aspecto mais gordinho, com a pele lisa e todo bem formado.

O nascimento do bebê começa no momento em que o trabalho de parto da mãe começa. Este momento se caracteriza com o início das contrações uterinas, levando à dilatação, afinamento e apagamento do colo (processos movidos por hormônios femininos). Enquanto ocorre a dilatação, pode acontecer o rompimento da bolsa com o líquido amniótico (que também pode ocorrer no início do processo do parto).

Este processo pode levar até 48 horas, sendo finalizado quando a dilatação do colo do útero chega a 10 centímetros, momento em que começa a fase expulsiva. Nessa fase, a mãe já está preparada e em posição final do parto. O bebê na maioria das gestações está na posição cefálica (de cabeça para baixo), começando a se apresentar. Após a cabeça sair, o próprio bebê realiza um movimento de rotação interna, se virando para a esquerda, para ajudar na saída dos ombros (este processo pode ter a ajuda do profissional que estiver fazendo o parto). Logo após, saí o resto do corpo. O bebê sai junto com a maior parte do cordão umbilical, este, em seguida é pinçado quando há interrupção da circulação materno fetal. Uma parte excesso será cortada logo após colocar o clamp na parte sai com o bebê, a outra parte sairá junto com a placenta.

Primeiros cuidados com o bebê:

O primeiro contato com a mãe é essencial após o parto, pois ele promove o vínculo materno fetal, que ajudará em muitos aspectos durante a recuperação do bebê e da mãe. Ali, o bebê encontra o calor, o amor, o cheiro, ouve as batidas do coração da mãe e a sua voz, todo o conforto que ele precisará. Para a mãe, receber o seu filho nos braços – aquela pessoa tão esperada e planejada, acaricia-la e conhecer o seu rosto -, é um momento único, que marcará o resto da sua vida.

Esse momento ajuda no relaxamento do bebê e da mãe, diante dos procedimentos do pós-parto, além de contribuir para o início do aleitamento materno, pois a presença do bebê é que promove o estímulo hormonal da mãe, e quando ele for para o peito, os hormônios agem de forma rápida, liberando e produzindo o leite. Este processo também é saudável, pois faz com que aumente as contrações uterinas da mãe, diminuindo o sangramento pós-parto.

Logo após essa etapa, o bebê vai para um bercinho aquecido, para serem realizados os primeiros cuidados com ele. Esses cuidados podem ser feitos na sala de parto ou no berçário (depende do protocolo da instituição) até uma hora ou após o nascimento (caso do banho), descritos a seguir:

  1. Administração de vitamina k (dose única): Em formato de injeção intramuscular, aplicada na coxa, evita a deficiência dessa vitamina na coagulação sanguínea do bebê (doença hemorrágica neonatal);
  2. Administração de nitrato de prata (credeização): Em formato de colírio, aplicado nos olhos, é feita para prevenir a oftalmia, ou vaginite gonocócica, na criança, doença causada por uma bactéria, reflexo da contaminação do bebê durante o trabalho de parto e gestação, que pode levar a complicações, se não for tratada previamente;
  3. Identificação: é colocada uma pulseirinha na mãe e uma da mesma cor no bebê, com dados da mãe e do parto. Essa pulseira é de material plástico, colocada no pulso ou no tornozelo;
  4. Exame físico geral: Este deve ser feito pelo médico e enfermeiro, avaliando cada parte do corpo do recém-nascido (RN), com ênfase na respiração, circulação sanguínea, condições de vitalidade, malformações, maturidade presumível de seu organismo, e reflexos. Podem ser avaliados também, a integridade de diversas partes do corpo, tais como as fontanelas e suturas do crânio, para ver se estão dentro do padrão normal de fechamento e desenvolvimento cerebral. Também se realiza a pesagem, medida de estatura, perímetros cefálicos, torácicos e abdominais (essas medidas são essenciais para avaliar a normalidade do bebê, principalmente durante o seu acompanhamento de crescimento e desenvolvimento futuro);
  5. Banho: O banho, em algumas instituições, é preconizado após uma hora de nascido e passado pela avaliação médica. Muitas vezes um acompanhante pode observar e até ajudar a enfermeira neste processo. Em alguns locais, o banho mais intenso só é dado um dia após o nascimento, sendo que, após o nascimento é feita uma higiene rápida do recém-nascido. Nessa ocasião, retira-se a maior parte do vernix (a cobertura branca para proteção do seu corpo, criada no útero da mãe), mas, caso ele não saia todo, se pode secar, pois sai naturalmente nas próximas 48 horas. Após vestido e limpo, o bebê segue para o quarto ou para o encontro com a mãe, até a alta de ambos.
  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307