Dicas nutricionais

Dicas nutricionaisA gravidez é um momento especial na vida de uma mulher e a sua alimentação é de importância fundamental, neste período.  Uma alimentação saudável exerce influência significativa e direta sobre o desenvolvimento do feto e da estrutura materna, tais como: placenta, útero, glândulas mamárias, ossos e sangue.

É neste momento que a mamãe, consciente do seu papel, busca assegurar uma boa saúde para si e para o seu bebê. Um dito popular assegura: “grávida tem que comer por dois”, e de certa forma, isto é verdadeiro. Embora não precise comer duas vezes mais quantidades de alimentos, o que comer, agora é duas vezes mais importante.

Quando você passa a conhecer as necessidades do seu organismo e as fontes energéticas que determinados alimentos têm, compreenderá que uma dieta equilibrada e saudável contribuirá para o bom funcionamento do seu corpo e para o controle do peso.

Uma boa dieta deve conter alimentos de origem animal e vegetal. Os alimentos de origem animal (leite, ovos, carnes e peixes) e os alimentos de origem vegetal (cereais, frutas, verduras ou legumes), através dos processos digestivos se transformam em proteínas, gorduras e carboidratos, muito necessários para provisão de suas energias, para recuperar perdas sofridas enquanto o bebê está se formando e para reconstituir seus tecidos, os quais estão em continuo desgaste.

Os nutrientes: blocos construtores do bebê

  1. Calorias: combustíveis para a mamãe e o feto, principalmente durante a gestação. As calorias devem ser ingeridas adequadamente, pois seu exagero ocasiona o aumento desproporcional do peso. Da mesma forma, o consumo insuficiente, principalmente no segundo e no terceiro trimestres, prejudica seriamente o desenvolvimento do bebê.

  2. Proteínas – Componentes essenciais de uma alimentação, as proteínas se destinam ao crescimento e a reconstituição dos tecidos do corpo. Elas podem ser encontradas nos alimentos de origem animal (iogurte, leite, queijos, ovos, carnes branca e vermelha, peixes e crustáceos), e de origem vegetal (cereais integrais, leguminosas, nozes e amêndoas).

  3. Carboidratos - São fontes primarias das calorias. Eles são convertidos rápido e eficientemente em energia. Deve-se dar preferência aos carboidratos complexos, e aos produtos integrais, pois são constituídos de fibras, mantendo o bom funcionamento do intestino, o qual, na maioria das gestantes, está lento.Os carboidratos complexos são: legumes, leguminosas, pães integrais, cereais integrais, frutas e grãos integrais.

  4. Gorduras - Na gestação, mesmo sendo a maior vilã, pelo aumento de peso que provoca, ainda assim, a gordura não deve ser eliminada totalmente da sua dieta: é necessário apenas manter a cota, sem excedê-la, pois ela é vital para o sistema nervoso e cérebro do seu bebê, ainda em desenvolvimento.Deve-se dar prioridade para as gorduras insaturadas, de origem vegetal, pois elas são menos danosa ao sistema cardiovascular. Ex: óleos vegetais, gorduras das frutas e legumes.

  5. Vitaminas – Para utilização da energia dos carboidratos, as vitaminas são essenciais. Elas são necessárias para a maioria das funções do corpo. Todas as vitaminas são importantes durante a gravidez e a maioria pode ser obtida através de uma alimentação variada.

Vitamina Serventia Onde Encontrar
A É muito importante para a visão e indispensável ao crescimento. Aumenta a resistência do organismo contra infecção e assegura a formação e a manutenção do esmalte dos dentes (ajuda a evitar problemas dentários). cenoura, verduras, frutas, (melão, pêssego e abricó), leite, manteiga, espinafre, agrião, gema de ovo
Complexa B Estas vitaminas estimulam o apetite, favorecem a digestão e conservam a qualidade dos nervos, dos ossos e da pele. Levedo de cerveja, leite, queijo, ovos, arroz, espinafre, fígado de galinha e bovino, rim bovino, amêndoas, carne bovina, frutas cítricas, e gérmen de trigo
Ácido Fólico Esta vitamina ajuda a formar as células brancas e vermelhas do sangue, as quais estão aumentadas na gestação. Também auxiliam na formação do material genético de cada célula.
As pesquisas indicam que as mulheres que consomem quantidades adequadas de folato, antes da gravidez, e durante os três primeiros meses, reduzem o risco da criança nascer com defeito no tubo neural (este é formado logo no primeiro mês da gestação, é o sistema nervoso primitivo do feto, e se o ácido fólico for deficiente o tubo neural não se fecha, acarretando problemas de má formação como a “espinha bífida”).
É recomendado que, todas as mulheres em idade fértil, devam consumir 0,4mg de ácido fólico, por dia.
folhosos verdes, ervilhas secas, feijão, frutas cítricas, gérmen de trigo, nozes, pão de trigo integral, ricota, iogurte. OBS: Preferir frutas e hortaliças cruas.
C Você e seu bebê precisam desta vitamina, pois ela repara os tecidos, ajuda na cicatrização de feridas, ajuda no crescimento do feto, no desenvolvimento de ossos e dentes e ajuda a baixar a taxa de colesterol no sangue. É um elemento nutritivo que o organismo não armazena, portanto, deve ser reposto diariamente. Repolhos crus, tomate cru, melão, laranja, mamão, morango, limão, acerola, kiwi, brócolis, espinafre, fígado bovino
D É uma vitamina importante para assimilação do cálcio e fósforo. Sua falta provoca atrasos no crescimento, deformações ósseas e raquitismo Fígado, peixe, ovos, leite, manteiga
E Considerada a “vitamina da fertilidade”, já que a sua ausência pode provocar a esterilidade, a vitamina E previne e dissolve os coágulos sanguíneos e atua no metabolismo muscular, aumentando a elasticidade das fibras musculares Alface, espinafre, cereais, nozes, amêndoas, fígado, óleos vegetais (amendoim, girassol e soja), ovos, feijão
K Por ser uma vitamina anti-hemorrágica, logo, imprescindível para a coagulação do sangue Alface, Couve, espinafre, couve-flor, vegetais de folhas verdes, fígado de animais, soja
  1. Líquido – Ajuda a manter a pele hidratada e macia, diminui a prisão de ventre e reduze a possibilidade de infecções urinárias. O bebê também precisa de muito liquido, pois grande parte do seu corpo é composta de água. Deve-se ingerir, pelo menos, oito copos de líquidos por dia, entre água, sucos de frutas e leite.

  2. Minerais – Os minerais são importantes para possibilitar as refeições orgânicas, garantindo um bom funcionamento de todo o corpo e prevenir doenças como: raquitismo, anemia, eclampsia, bócio.

Minerais Serventia Onde Encontrar
Cálcio Vital para o bom funcionamento dos músculos, coração e nervos, é importante também na constituição de ossos e dentes. Evita câimbra muscular e previne a descalcificação óssea.
As pesquisas atuais mostram que a ingestão adequada de cálcio, durante a gestação, pode reduzir a pressão arterial e diminuir a inconsistência de pré-eclâmpsia. Por tanto, tenha muito cuidado para que não falte cálcio em sua alimentação, pois o bebê vai “retira-lo” do seu organismo para a sua cota necessária de crescimento. Esta falta poderá trazer problemas futuros para você, como a osteoporose.
As mulheres grávidas necessitam de cálcio extra, principalmente no terceiro trimestre, quando os ossos do bebê estão se formando. Além disso, seu corpo está estocando cálcio para a produção de leite.
.
Leite e seus derivados, sardinhas, salmão, semente de gergelim, vegetais verdes escuros (couve, brócolis, espinafre, agrião), gema de ovo, soja, passas, figos secos
Ferro O ferro é indispensável para a formação da hemoglobina (pigmentos dos glóbulos vermelhos que fixa e transporta oxigênio), e também é essencial para a função respiratória.
A necessidade de ferro aumenta muito durante a gestação, pois os volumes de sangue e de glóbulos vermelhos aumentam para facilitar as trocas gasosas com o feto e o bebê está construindo sua própria reserva. Por isso ele é tão necessário durante os nove meses. Como a natureza é sábia, a mulher aumenta sua absorção de ferro seja de origem animal ou vegetal durante a gestação.
Caso a gestante não reponha essa quantidade perdida é comum na gravidez, a ocorrência de anemia, geralmente, no final do1º até o começo do 3º trimestre. Os sintomas da anemia são: fraqueza, fadiga e tonturas. A razão da anemia é que o suprimento de sangue aumenta cerca de 50%. É quando, então, neste período, se torna importante um maior suprimento de ferro, sendo necessária a utilização do dobro desse mineral.
A vitamina C ajuda na absorção do ferro de origem vegetal, quanto ingeridos ao mesmo tempo.
Fígado, coração e rins de animais, gema de ovo, vegetais de folhas verdes, feijão, lentilha, carne magra de boi, batata, alcachofra, cereais integrais
Fósforo Junto com o cálcio, o fósforo proporciona rigidez aos ossos e dentes. Ele faz parte da composição das células, principalmente as do sistema nervoso, e ainda facilita a transformação dos alimentos em energia e a assimilação dos carboidratos pelo organismo. Leite, queijo, peixe, fígado bovino, legumes, chocolate, pão, arroz, cereais integrais, amêndoas, nozes, soja.
Sódio e cloro Combinados, regulam a retenção de líquidos no corpo. O cloro e o sódio, sob a forma de sal de cozinha (cloreto de sódio) devem ser usados com cautela, de acordo com a orientação de seu nutricionista ou médico. Sal de Cozinha
Iodo Indispensável no funcionamento das glândulas tireóides, que tem a função de regular o processo oxidante das células, o iodo ainda previne o bócio (aumento das glândulas tireóides). Peixe, ostras e outros frutos do mar, ovos, sal enriquecido (iodado)

OBS: Não use medicamentos ou suplementos sem a prescrição e orientação de seu médico ou nutricionista. Isso pode ser perigoso, particularmente na gravidez! Apenas eles são capazes de verificar a sua necessidade.

Lenice Barbosa Neves
Nutricionista Clínica – CRN5-4244

  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307