Consultas e exames

ExamesO pré-natal é um conjunto de consultas e cuidados com a gestante, até o parto. Toda gestante deve realizar o pré-natal e seguir suas rotinas, de acordo com o período da gestação. O pré-natal é importante para a mulher, para o bebê e para a família, pois objetiva promover um suporte a todos, além de acompanhar, prevenir, identificar ou corrigir anormalidades maternas ou fetais que possam criar adversidades ao decorrer da gestação.

O ministério da saúde lançou, no ano 2000, o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN), que preconiza algumas ações essenciais à gestante, e dentre elas, o mínimo de seis consulta com um médico obstetra, sendo a primeira no primeiro trimestre, duas, no segundo trimestre, e as três últimas, no terceiro trimestre. Ainda aconselha uma consulta no pós-parto, até o 42º dia, e exames de sangue e ultrassonografias específicas.

Nos consultórios particulares, essa é uma realidade diferente. As consultas são, geralmente, em número maior que seis, e são solicitadas ultrassonografias e exames específicos e complementares.

Durante as consultas – independentemente se da rede pública ou privada -, existem procedimentos básicos, com parâmetros pré-estabelecidos, que determinam o fator de risco, ou não, de uma gravidez. Por isso, alertamos sobre alguns procedimentos que não podem faltar nas consultas, e exames a serem realizados.

  • Pesagem: O acompanhamento do ganho de peso da gestante é importante para determinar se está de acordo com o preconizado, o que deve ser entre 10 e 15 kg, em toda a gestação;

  • Mensuração da Altura Uterina: A medição da altura do útero, que vai da sínfise púbica, (um osso acima da região genital) até o fundo uterino no abdômen, objetiva verificar se o crescimento do útero é compatível com a idade gestacional, a partir da 12ª semana.  Essa medição é realizada com uma fita métrica;

  • Palpação obstétrica: Este exame serve para determinar a apresentação, situação e posição do feto, o que varia em todo o período gestacional;

  • Ausculta obstétrica: Este procedimento é realizado com o sonar Doppler, e mede os batimentos do coração do bebê (ouvidos somente a partir da 10ª ou 12ª semana);

  • Exame físico geral da gestante, incluindo aferição da Pressão Arterial e pulso;

Em geral, a solicitação de exames de sangue ocorre em dois períodos, como descrito abaixo. Pesquisas específicas serão solicitadas, se necessário, pelo profissional que lhe acompanha.

A dica é: Dúvidas de medicamentos, incômodos frequentes, sangramentos, dores, rotinas de exercícios físicos e de trabalho, e dúvidas sobre alimentação, devem ser levadas ao consultório.

Exames de sangue solicitados na primeira consulta:

  • Hemograma completo
  • Dosagem de hemoglobina e hematócrito (hb/ht)
  • Grupo sanguíneo e fator rh
  • Sorologia para sífilis (vdrl)
  • Glicemia em jejum
  • Sumário de urina (tipo 1)
  • Sorologia anti-hiv (com o consentimento da mulher)     
  • Sorologia para hepatite b
  • Sorologia para toxoplasmose
  • Sorologia pra rubéola
  • Sorologia para Citomegalovírus
  • Sorologia para Htlv
  • Proteínas totais e frações
  • Ácido úrico, ureia e creatinina
  • TSH, T3, T4 livre, anti-TPO
  • Chlamydia
  • Hepatite A e C
  • Herpes simples
  • Urocultura
  • Eletroforese de hemoglobina

Outros exames podem ser acrescidos a essa rotina, a exemplo do parasitológico.

Exames de sangue solicitados, com repetição entre 28 a 30 semanas:

  • Glicemia em jejum: repetir próximo à 30ª semana
  • Sumário de urina (tipo 1): repetir próximo à 30ª semana
  • Hemograma completo
  • Ferro sérico, Ferritina
  • Proteínas totais e frações
  • Ácido úrico
  • Uréia
  • Creatinina
  • Glicemia de jejum
  • Hemoglobina glicosilada, Frutosamina
  • TSH, T3, T4 livre
  • HIV 1 e 2
  • VDRL e FTA
  • Listeriose
  • Rubéola
  • Toxoplasmose
  • Citomegalovírus
  • Chlamydia
  • Herpes Simples
  • Hepatites A, B, C
  • Colpocitologia oncótica (embora sem a coleta endocervical).

Exames de ultrassonografias:

Exame de ultrassonografiaOs exames de ultrassonografias podem ser realizados em momentos diferentes dos exames de sangue e são de finalidades diagnósticas diferentes. Hoje, existem vários tipos desses exames, que são solicitados de acordo com a necessidade da paciente ou do período gestacional. Abaixo, seguem os tipos e os períodos que devem ser realizados:

Para gestação de baixo risco, são importantes quatro ultrassonografias:

  • A primeira ultrassonografia, realizada entre a 6ª e a 10ª semana, é a transvaginal, que avalia a viabilidade e vitalidade gestacional. Este exame também informa o número de bebês em gestação, a idade gestacional, data provável do parto, batimentos cardíacos e sinais vitais;

  • A segunda, entre a 11ª e a 14ª semana, é a ultrassom morfológico de 1º trimestre, ou translucência nucal, que avalia a formação inicial dos órgãos e sistemas fetais, mede a quantidade de líquido na nuca do feto, que a depender da espessura e quantidade, pode determinar anomalias cromossômicas em bebês, ou seja: verifica a formação inicial da anatomia fetal e rastreia possíveis doenças genéticas;

  • A terceira ultrassonografia, realizada entre a 20ª e a 26ª semana, é a morfológico de 2º trimestre. Este é um exame importante na gestação, por avaliar detalhadamente a anatomia do feto, verificando o desenvolvimento adequado de órgãos e sistemas, com até 90% de chances de diagnósticos corretos quanto a más formações. Nesse período, também é verificado, com exatidão, o sexo do bebê.

  • A ultrassom obstétrico, quarto exame na sequência, realizada entre a 28ª e a 32ª semana, é fundamental na investigação de possíveis problemas de crescimento, estrutura e mal posicionamento do feto.  Avalia ainda as medidas do feto, as condições da placenta e o volume do líquido amniótico, e realiza mais uma verificação dos órgãos.

Exames adicionais:

  • Ultrassom obstétrico de rotina – Este exame é indicado no final da gestação, entre a 34ª e 40ª semana, e serve para avaliar
    a maturidade da placenta, do líquido amniótico, o posicionamento do cordão umbilical e o peso do feto, dando mais segurança ao médico e a gestante;

  • Dopplervelocimetria – É um exame indicado para verificar a circulação materna, placentária e fetal;

  • Perfil biofísico fetal – Este exame é solicitado pelo médico obstetra, para avaliar a vitalidade fetal;

  • Avaliação do colo uterino por via endovaginal – Esta avaliação é solicitada em caso de risco para a paciente, no trabalho de parto prematuro;

  • Ultrassonografia tridimensional em tempo real (3D/4D) – Indicado entre a 26ª e a 32ª semana, este exame é de última geração e mostra imagens tridimensionais, permitindo ver traços definidos do corpo e do rosto do bebê, tais como mãos, pés, nariz, boca e outros, inclusive se há má formação fetal. Neste caso, a identificação precoce facilita a compreensão dos pais e aproximação com o bebê. A fidelidade das imagens encanta os pais, que, muitas vezes, reconhecem traços familiares no bebê, ainda no ventre da mãe.

  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307