Cuidados com o período puerperal

Cuidados com o período puerperal

Período puerperalO puerpério compreende o período logo após o pós-parto, e se estende até mais ou menos 40 a 60 dias depois dele. Esse momento se caracteriza principalmente pelas mudanças que ocorrem no corpo da mulher, para voltar ao seu estado normal, antes da gestação, e pelo sangramento que se mantém nesse período.

Mesmo após esse período, o corpo da mulher ainda passará por mudanças, uma vez que permanecem necessidades para atender ao bebê e a si própria, nesse momento de pós-gestação. Essa é uma fase cheia de novidades, particularmente para as “marinheiras de primeira viagem”.

No período puerperal a mulher deve ficar em resguardo de atividade sexual e em repouso de algumas atividades (este último não precisa e nem deve ser absoluto). É nesse momento que acontece o sangramento pós-parto (loquiação). Com ele, começa o processo de recuperação das camadas do útero e o seu retorno ao tamanho normal. Este sangramento acontece em maior quantidade logo após o parto, diminuindo a cada dia (semelhante à menstruação), e pode durar até 60 dias.

O prazo que os médicos geralmente dão para as mulheres voltarem a atividade sexual é de aproximadamente 30 a 40 dias. Com isso, evita-se dor, comprometimento das cicatrizes do parto natural ou cesariana (os procedimento cirúrgico sempre demanda maiores cuidados) e, principalmente, em função das mudanças hormonais e do retorno dos órgãos a seus locais de origem. A baixa de hormônios, natural nesse período, leva a perda do libido e diminuição da lubrificação, o que dificulta o ato sexual.

Alguns cuidados nesse período dependem do tipo de parto: Logo após a cesariana, por ser uma cirurgia aberta, a mulher deve evitar movimentos bruscos e conversar, pois isso gera muitos gases, provocando dor. Nesse momento, a mãe deve apenas amamentar, o que, na maioria das vezes, exige paciência e tempo. Já no parto normal, a mulher se sente recuperada mais rápido, o que lhe permite maior movimentação, embora descansar seja igualmente importante. O gasto energético e físico desprendido pela mulher, desde o trabalho de parto, é grande e merece que o corpo descanse. Entretanto, o aleitamento materno continua sendo um precedente importante, e no parto normal acontece mais rapidamente.

No puerpério o edema nas pernas permanece, não importando o tipo de parto. Por isso, devem ser observados os cuidados indicados pelo seu médico.

Após o puerpério, a primeira menstruação acontece entre 50 e 60 dias, e nem sempre de forma normal, principalmente para as mulheres que estão em amamentação exclusiva. Nesse período, a mulher deve buscar um método contraceptivo adequado, pois não está livre de engravidar.

O retorno às consultas, nesse momento, e o cuidado com a higiene são essenciais, bem como o cumprimento, à risca, das orientações dadas pelo médico ou enfermeira obstetra que a acompanhe, para evitar infecções e problemas em futuras gestações. O retorno às atividades físicas, sexuais, dentre outras, é de responsabilidade do médico, porém, respeitando o tempo e a vontade de cada mulher. É muito importante que a mulher se sinta preparada para cada um desses momentos.

Nos dias que se seguem, o cansaço materno ou a recuperação emocional da mãe são fatores levados em consideração, pois privam a mulher de muitas atividades. As novas rotinas, as alterações físicas e hormonais muitas vezes interferem na vida social da mulher. Com isso, os sentimentos de dúvida, medo, nervosismo, estresse com pequenas coisas, e exclusão da vida social que tinha antes, podem refletir na amamentação e no relacionamento com o companheiro.

Muitos mitos sobre visitas, horários, a mulher pode fazer isso e não pode aquilo, muitas crendices populares, são passadas para as mães. O que vale é o sentimento e a situação da mãe. Aquelas que precisam de apoio ou ajuda em algum aspecto, deve buscar um profissional da área. Receber visitas, estar sempre bela para todos, ou mesmo deixar o bebê com a babá, ficará sempre a critério de cada mãe e de seus valores culturais. Entretanto, o ideal com relação às saídas, é acontecerem após a estabilização da amamentação (quando ocorre naturalmente, sem dificuldades para a mãe) e das primeiras vacinas do bebê.

Mas, o importante é passar por esse período – que parece ser longo, mas é curto -, de forma tranquila, evitando problemas, voltando ao ritmo normal da vida, aos poucos, prezando pela segurança, saúde e bem estar da mãe e do bebê. Cumprir os cuidados médicos, ter o apoio do companheiro e da família, de forma a que se sinta confiante para assumir as suas novas e antigas rotinas, é essencial. Estas atitudes serão as mais corretas durante o puerpério.

Daniela Nascimento, Enfermeira Obstetra.


  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307