Assistência Pré-natal

Pré-Natal

  • O que é assistência pré-natal e qual a sua importância?

    É o conjunto de procedimentos clínicos e educativos que visam promover a saúde da gestante e do bebê, através de consultas periódicas realizadas pelo médico ou enfermeiro, durante a gestação. É por meio da assistência pré-natal que o profissional de saúde poderá identificar fatores de riscos, rastrear doenças e complicações da gestação, buscando garantir uma gravidez saudável e um parto sem intercorrências.

  • Quando se deve iniciar o pré-natal?

    O pré-natal deve ser iniciado ainda no 1º trimestre, a fim de garantir uma maior eficácia. Numa gravidez planejada, o ideal é a realização de uma consulta de “avaliação pré concepcional” na busca de um planejamento seguro da gestação.

  • Quantas consultas devem ser realizadas?

    Devem ser feitas, no mínimo, seis consultas, sendo, preferencialmente, uma no primeiro trimestre, duas no segundo, e três no terceiro. O pré-natal estende-se ainda ao puerpério – período de até 42 dias após o parto -, no qual a paciente deverá ainda ser acompanhada por um profissional de saúde. É importante salientar que, para o cumprimento dos objetivos da assistência pré-natal, independentemente do número de consultas, estas precisam, prioritariamente, ter uma boa qualidade.

  • O que se deve esperar das consultas pré-natal?

    É importante o profissional realizar a anamnese – colher dados sobre o histórico de saúde do paciente, incluindo o histórico familiar, hábitos de vida e queixas atuais -, realizar exame físico/obstétrico, solicitar exames complementares de laboratório e imagem (como a ultrassonografia), bem como orientar sobre vacinas e medicações necessárias.

  • Quais exames são solicitados no pré-natal?

    Um dos objetivos da assistência pré-natal é rastrear possíveis doenças e complicações da gravidez, por isso uma série de exames laboratoriais é solicitada logo na primeira consulta, sendo que alguns devem ser repetidos, trimestralmente, ou quando necessário, a exemplo do Hemograma (importante para dosagem de hemoglobina, detecção de anemia e infecções), glicemia em jejum (importante na detecção do diabetes), sumário de urina (pode indicar infecção do trato urinário, pré-eclâmpsia, eclâmpsia), e tipagem sanguínea e fator Rh. Estes são exames fundamentais.

    Algumas sorologias são solicitadas para afastar ou detectar doenças infecciosas como sífilis (VDRL), toxoplasmose, hepatite B (Ag HbS) e C (Anti- HCV) e HIV. Alguns exames complementares também são indicados em casos específicos: coombs indireto (exame realizado quando a gestante é Rh negativo e o parceiro Rh positivo), parasitológico de fezes, urocultura, papanicolaou, dentre outros.

    Exames de imagem, específicos do pré-natal, também são fundamentais, a exemplo de ultrassonografias em cada etapa da gestação, objetivando um acompanhamento adequado do bebê.

Camila Durando e Stephanie Puig, membros da LAGOB (Liga Acadêmica de Ginecologia e Obstetrícia da Bahia).

Referências: Cadernos de Atenção Básica – Atenção ao pré-natal de baixo risco, Ministério da Saúde, 2013.


  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307