Alimentação infantil até os dois anos de idade

Alimentação InfantilA alimentação da criança, desde o seu nascimento, é sempre motivo de dúvidas e questionamentos por parte da mamãe e da família. A transição entre o aleitamento materno exclusivo – que geralmente vai até os seis meses de idade -, e a introdução de outros alimentos, vem com a preocupação de saber o que ofertar para a criança, de forma a atender as suas necessidades nutricionais. Essa transição alimentar deve ser natural, organizada e saudável.

Entretanto, esta é uma fase em que cada criança responde de forma diferente. Para muitos bebês, a troca do leite materno pelo leite artificial não é agradável, assim como a introdução de frutas e verduras. A criança passa a conhecer um novo modelo de alimentação, a exemplo do uso da colher, do copo e outros utensílio, e não somente pelo seio da mãe. Esta é uma nova fase a ser vista de forma positiva pela família.

Independentemente da idade, algumas crianças aceitam facilmente tudo que lhe é ofertado, mas outras já apresentam dificuldades desde a introdução dos primeiros alimentos, seja pela mudança de sabores e texturas, seja pela mudança do modelo alimentar. Outro fator a ser observado são as alergias surgidas com a introdução de alguns alimentos. A família e os cuidadores devem atentar e compreender que, em cada idade surgem novas necessidades nutricionais, e que este processo é progressivo.

Para os que estão próximo da criança, o segredo é ter muita paciência e nunca deixar de repetir os alimentos que rejeitou de primeira vez, para que ela tente se adaptar. O exemplo alimentar dos pais, à mesa, durante as refeições, uma comidinha bem feita, com amor, a hora certa de ofertar os alimentos durante o dia, e a introdução destes nas idades apropriadas, também são fundamentais e incentivam na adaptação a novas mudanças. Estas e outras iniciativas contribuem para os bons hábitos alimentares da criança, para o resto da vida.

Tomando estes cuidados, fica mais fácil seguir os 10 passos abaixo, para uma alimentação saudável, recomendada pelo Ministério da Saúde e Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), para crianças menores de dois anos, no Brasil.

  • Passo 1 – Dar somente leite materno até os seis meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento;
  • Passo 2 – A partir dos seis meses, oferecer de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais;
  • Passo 3 – A partir dos seis meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, frutas e legumes) três vezes ao dia se a criança receber leite materno e cinco vezes ao dia se estiver desmamada;
  • Passo 4 – A alimentação complementar deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-se sempre a vontade da criança;
  • Passo 5 – A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; começar com consistência pastosa (papas / purês), e gradativamente aumentar a sua consistência até chegar à alimentação da família;
  • Passo 6 – Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida;
  • Passo 7 – Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições;
  • Passo 8 – Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação;
  • Passo 9 – Cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conservação adequados;
  • Passo 10 – Estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos, respeitando a sua aceitação;

Lenice Barbosa Neves
Nutricionista Clínica – CRN5 – 4244

Daniela Nascimento
Enfermeira Obstetra – COREN – 283335


  • Rodape

    Copyright © 2013 Gestass Assessoria. Todos os direitos reservados.
    Tel:(73) 99143-8307